A contramão é o meu lado certo

Eu ando na contramão. Dos carros. Do óbvio. Do tempo. Da pose. Das opiniões. Do ritmo. Do estereótipo. Dos bons costumes. Do “perigo”. Da produtividade. Do sucesso. De algumas leis. Eu ando a pé. Com isso demoro mais pra chegar, mas chego em mim mesma enquanto assisto ao trânsito. De carro eu não teria sentido... Continuar Lendo →

SER mãe ou DAR mãe?

Eu li/ouvi na semana passada o livro “Pais inteligentes criam sucessores, não herdeiros”, do autor Augusto Cury. Não tinham me indicado nem estava na minha lista, mas passando pelos audiolivros do app que uso, o nome me chamou atenção. Justamente porque o meu compromisso número 1 para este ano é ser a MELHOR MÃE POSSÍVEL... Continuar Lendo →

O meu Ano Novo e o Novo do meu Ano

Eu sei, já passamos da metade de janeiro. Mas tá tudo tão novo neste ano que ainda estou tendo dificuldade de voltar aos velhos posts aqui. Pra começar, estou trabalhando com o novo canal por onde vamos falar mais dessa nossa Vida de Índigo: YouTube. Sim, sim, venci todos os meus preconceitos, sobre os quais... Continuar Lendo →

É chocando que se ensina

Sim, o título é uma paródia do ditado "é errando que se aprende". E não estou com pretensão de ensinar nada pra ninguém aqui. Mas a ideia de escrever este texto surgiu depois de alguns dias pensando e observando as reações de algumas pessoas a atitudes minhas, da minha família e de outras pessoas que... Continuar Lendo →

O jardineiro é Jesus, e as árvores… será?

Na semana passada, passei uma manhã deliciosa no Jardim Botânico da minha cidade, Jundiaí. Fui até lá pra variar o local da minha caminhada de todas as manhãs, e a ideia era só sair um pouco da rotina, mas fui surpreendida por um pensamento e uma experiência muito fortes. O lugar é lindo, maravilhoso, com... Continuar Lendo →

Você tem uma pessoa?

É o primeiro post que escrevo na categoria Vida de Mulher, e poderia abordar muitos outros temas, mas quero aqui falar de um que é parte enorme da(S) minha(S) vida(S) e dizer por que acho que deveria ser assim com TODA MULHER: a amizade verdadeira, de longo prazo, que ultrapassa barreiras físicas e ideológicas. Com todos... Continuar Lendo →

A Copa do Mundo já foi minha (paixão)

Tá tendo Copa, e eu não podia deixar de escrever sobre essa competição pela qual sempre fui apaixonada! Se você leu o post "Várias jornalistas em uma só", já sabe que comecei no jornalismo esportivo, meu grande amor do passado, e que só abandonei por motivos de... tinha 21 anos e estrutura emocional insuficiente pra... Continuar Lendo →

A história de nós duas

É Dia d@s Namorad@s! ❤ E, sem nem entrar no mérito de essa data ser válida ou apenas uma jogada comercial (aqui em casa, abolimos comprar presente fora já faz um tempo), achei que valia a pena usá-la pra contar um pouco de como foi o meu namoro com a Mari. Até porque se tem... Continuar Lendo →

Viajar é preciso – e delicioso!

A frase da imagem não é minha, mas é pra mim, rs. Realmente não tem coisa que me empolgue mais, que me coloque num estado de felicidade maior do que os dias ou semanas que antecedem uma viagem. E isso desde sempre. Passei a infância indo para acampamentos, desde os seis anos de idade, e... Continuar Lendo →

Libertando minha alma de escritora

Tenho alma de escritora. E acho que sempre soube disso, mas só há pouco tempo comecei a olhar de fato para ela e dar valor. Desde criança gostava de escrever longos bilhetes para meus pais, depois cartas para as amigas na adolescência e alguns poemas na época das primeiras paixões. Mais tarde, vieram as letras... Continuar Lendo →

O nascimento da minha LUZ

Se tem uma coisa que qualquer índigo AMA fazer é aprender. E eu sou uma dessas, adoro aprender coisas novas! Mas não confunda: aprender é diferente de estudar! Estudar horas seguidas, sentada, lendo, decorando, nunca foi minha praia. Mas aprender no sentido de conhecer coisas que não sabia, de aprender um novo idioma, uma nova... Continuar Lendo →

A mãe que sou

Ontem foi Dia das Mães e eu queria aproveitar pra contar uma situação deliciosa que vivi com o meu filhote João. Sabe a máxima "mãe é tudo igual"? Eu, com quase dez anos de maternidade, cheguei à conclusão de que não é não! Pode haver muitas similaridades entre as mães, claro, como a preocupação com... Continuar Lendo →

Ela só quer dançar, dançar, dançar!

Tenho pelo menos uns 150 amigos no Facebook que se tornaram adeptos das corridas de rua. E sempre que eu vejo acho legal pra caramba, a empolgação deles a cada corrida, os lugares bonitos onde elas acontecem, aquele monte de medalhas colecionadas, as turmas que se formam por esse esporte. Mas realmente não é a... Continuar Lendo →

“Canto, canto, minha gente!…”

"... deixo a tristeza pra lá, canto forte, canto alto, que a vida vai melhorar!" Música é tão parte de quem eu sou que foi difícil escolher o título e como começar a falar da minha Vida de Cantora. Mais difícil ainda está sendo escrever este texto SEM música – porque estou numa biblioteca e... Continuar Lendo →

Várias jornalistas em uma só

Não me lembro quando foi que decidi que queria ser jornalista. Lembro-me que adorava escrever redações, e que no sexto ou sétimo ano fiz um poema que foi parar no livro de textos anual da escola (Mackenzie). Lembro-me também que foi por sugestão da minha mãe que fui fazer Magistério no colegial (novinh@s não entenderam... Continuar Lendo →

Sim, Deus me ama!

Eu nasci e cresci dentro da Igreja Presbiteriana Independente. Não que tenha nascido fora da maternidade, rs, mas a igreja era mesmo a minha segunda casa desde que saí daquela. Meus pais também foram criados na igreja, lá se conheceram, e na mesma igreja onde eles se casaram, no bairro do Ipiranga, São Paulo, eu... Continuar Lendo →

Eu cozinho bem, obrigada!

Não, não sou convencida quanto ao meu talento culinário. FUI convencida de que o tenho. Explico: eu não sou aquele tipo de mulher que cresceu na cozinha, testou as receitas da mãe ainda adolescente e foi um prodígio das receitas. Pelo contrário, eu não tinha muita paciência pra cozinhar, quando estava sozinha fazia ou o... Continuar Lendo →

A História da Mamãe Julie

Quando eu era criança, até o início da minha adolescência, ao me perguntarem o que eu queria ser quando crescesse, a resposta era uma só: MÃE! Como escrevi no primeiro post da minha Vida de Esposa, isso na minha cabeça significava me casar (com um homem, "claro"), ficar uns anos curtindo a vida a dois... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑